Uma equipe da diretoria de programação da Globo desembarcou esta semana em Goiânia, em busca de soluções para a crise aguda de audiência que a emissora sofre na cidade há pelo menos sete anos. A visita acontece, curiosamente, após o canal carioca fechar com um de seus piores desempenhos desde que passou a ser transmitido por lá, em 1968, através da TV Anhanguera.

Em cinco dias de janeiro de 2019, a Globo perdeu a liderança por quatro vezes entre 7h e meia-noite - quase a faixa conhecida pelo mercado publicitário como média-dia -. Na média mensal, manteve-se líder, mas a muito custo e próxima dos índices da concorrência.

Segundo dados obtidos pelo NaTelinha, no acumulado dos 31 dias, ficou com 10,0 pontos, contra 8,6 da Record TV e 8,0 do SBT, representado pela TV Serra Dourada.

A primeira ocorrência foi em 11 de janeiro (sexta-feira), quando o canal de Silvio Santos venceu a TV Anhanguera por 8,3 a 8,0. O fato voltou a se repetir no dia 22 (terça), desta vez com a emissora de Edir Macedo na liderança: 9,3 a 9,0. Por sinal, foi neste dia que o “Encontro” e o “Bem Estar” fecharam na quarta colocação, abaixo dos 2,0 pontos, conforme noticiado pelo site em primeira mão.

A situação prosseguiu no dia seguinte, quarta-feira, 23 de janeiro, com uma vantagem maior: 9,6 contra 9,3 da Globo. Na quarta seguinte, dia 30, a regional da Record TV alcançou o melhor desempenho - 10,0 ante 9,5 pontos. Por fim, no último dia de janeiro (31, quinta), as duas concorrentes empataram com 9,3.

Ainda que se considere que Goiânia representa um universo relativamente menor comparado a outras capitais - 837 mil domicílios e 2,2 milhões de indivíduos, segundo a Kantar Ibope -, e que janeiro foi mês de férias escolares - fator que influencia de certa forma os números -, trata-se de um cenário problemático.
Não foi a primeira vez que a emissora carioca perdeu a liderança, mas nunca havia acontecido de forma tão frequente.

Força-tarefa

Segundo apurado pelo NaTelinha, dentre os gestores que foram para a capital de Goiás estão Amauri Soares, diretor da Central Globo de Programação, e Lauro Teixeira, responsável pela coordenação e estratégia de grade das regionais. Junto a diretores da TV Anhanguera, o grupo discute ações, diagnósticos e analisa o publico da praça, além de cobrar estratégias urgentes para diminuir o problema.

A situação é semelhante à intervenção ocorrida em Salvador. Em 2017, a equipe de Amauri foi pessoalmente à capital baiana dialogar com a diretoria da afiliada TV Bahia. De lá para cá diversas ações foram feitas. As mais simbólicas foram o fim da exibição do “Bem Estar” na cidade e a ampliação do “Bahia Meio Dia” (jornal local equivalente ao “SP1”).

Procurada pela reportagem, a Globo confirma a visita da equipe, mas contemporiza: “Integrantes das equipes de Programação e Pesquisa estão em Goiânia esta semana para realizar pesquisas qualitativas de audiência. Este é um procedimento rotineiro e realizado periodicamente em todas as praças do PNT”.