Globo escala 'Por Amor' para substituir 'Cordel Encantado' no Vale a Pena Ver de Novo





Exibida originalmente entre 13 de outubro de 1997 e 22 de maio de 1998, "Por Amor" traz Regina Duarte pela segunda vez como Helena, com Gabriela Duarte como Eduarda, sua filha.  A trama de Manoel Carlos, foi escolhida pela Globo para substituir "Cordel Encantado" no "Vale a Pena Ver de Novo". A reprise começa no dia 29 de abril, com exibição simultânea da última semana da trama de Duca Rachid e Thelma Guedes.

A novela é muito lembrada também pelo trabalho de Susana Vieira no papel da vilã Letícia de Barros Motta, além de Antonio Fagundes, Fabio Assunção, Viviane Pasmanter, entre outros.


TRAMA PRINCIPAL


“O que você faria por amor?” Essa era a questão que norteava a novela. A história começa em Veneza, na Itália. Maria Eduarda (Gabriela Duarte) e sua mãe, Helena (Regina Duarte), viajam juntas por motivos opostos: a jovem despede-se da vida de solteira, e Helena procura esquecer o fim de um namoro. Lá, elas conhecem o brilhante arquiteto Atílio (Antonio Fagundes), também brasileiro. Charmoso, galanteador, inteligente e romântico, conquista Helena de imediato.

Enquanto isso, no Rio de Janeiro, Marcelo (Fábio Assunção), filho predileto do casal Branca (Susana Vieira) e Arnaldo (Carlos Eduardo Dolabella), encanta as funcionárias da empresa onde trabalha e enlouquece a ex-namorada Laura (Vivianne Pasmanter), que o persegue obsessivamente. O rapaz desperta as maiores inseguranças em sua futura esposa, Maria Eduarda, por quem é verdadeiramente apaixonado. Ela é uma jovem ciumenta, mimada e frágil. Não sabe lidar com as dificuldades da vida, rejeita o pai alcoólatra, Orestes (Paulo José), e nunca está plena em seu relacionamento.

De volta ao Rio, Atílio precisa terminar sua já falida relação com Isabel (Cassia Kis) e se livrar do assédio constante de Branca, com quem teve um namoro na juventude, que a deixou ligada a ele para sempre. Apaixonado, Atílio casa-se com Helena.

A partir daí, o destino de Helena, Atílio, Maria Eduarda e Marcelo se cruza para sempre. Mãe e filha engravidam na mesma época e vão para a maternidade juntas.  Eduarda perde o útero no parto e dá à luz um bebê doente, que morre logo em seguida. Helena, por sua vez, dá à luz uma criança saudável e fica sabendo da desgraça da filha. Em um momento de desespero, diante da fragilidade de Eduarda e penalizada com o fato da filha nunca mais poder engravidar, Helena implora para que César (Marcelo Serrado) – o médico amigo que as atendia, apaixonado por Eduarda desde criança, um rapaz doce e sensível – troque as crianças. César o faz, chocado com o trágico momento, por amor à Eduarda e em nome de tudo que Helena fizera por ele durante a vida.

Helena diz a todos, inclusive a Atílio, que seu bebê não resistiu. Eduarda, por sua vez, passa a cuidar do irmão como filho, dando-lhe o nome de Marcelo Junior e ignorando a verdade sobre seu parto. A partir daí, os dias são dramáticos para César, que vive um transtorno pessoal, tamanha sua culpa, e Helena, que se vê obrigada, inclusive, a amamentar a criança, já que Eduarda não tem leite suficiente. 

Somente Helena e César guardam o segredo que, no final da novela, decide o destino dos dois casais para sempre. E é no último capítulo que todos descobrem a troca das crianças. Maria Eduarda lê a verdade no diário de Helena, fica enfurecida e arrasada. Depois da explosão da filha, Helena vai pessoalmente contar tudo a Atílio, que reage de forma transtornada. Ele parte imediatamente para ver o filho, muito comovido, e Eduarda lhe pede, desesperadamente, que ele não tire a criança dela. Desolado, Atílio decide sair do país. Eduarda e Marcelo perdoam Helena e decidem adotar uma menina.

Há uma passagem de tempo, e chega o dia do casamento de Márcia (Maria Ceiça) e Wilson (Paulo César Grande). Helena e Atílio foram convidados para serem padrinhos do casal, mas como Atílio está fora do país, seu filho Leo (Murilo Benício) o representa no altar. Para a alegria de todos, Atílio aparece na cerimônia e assume seu lugar.  

Na última cena da novela, depois do casamento, os dois casais aparecem no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio de Janeiro, caminhando sob as centenárias palmeiras do parque. Em determinado momento, Marcelinho solta a mão de Eduarda e Marcelo e corre para os braços de Helena e Atílio. Os cinco terminam caminhando juntos, em uma cena de cumplicidade e ternura.


REPERCUSSÃO


A personagem Eduarda (Gabriela Duarte) não agradou aos telespectadores no início da novela. Mediante isso, eles começaram a fazer campanhas contra a personagem, pedindo até a sua morte em um site na Internet. Em entrevista, a atriz afirmou que essas campanhas não a atingiam pessoalmente, visto que envolvia apenas sua personagem na novela, considerando assim uma polêmica saudável.

A cena da troca de bebês feita por Helena (Regina Duarte) e César (Marcelo Serrado) chegou a causar polêmicas e mal-estar entre os médicos. Eles afirmavam que a troca era caso de polícia, e que César representava um médico ilícito e antiético, um mau exemplo para os profissionais.

O destino do bebê Marcelinho mobilizou o público na época de exibição. Foram feitas várias enquetes, debates e até bolões sobre qual seria o destino da criança trocada na maternidade pela protagonista Helena (Regina Duarte).


AUDIÊNCIA


O primeiro capítulo de Por Amor teve uma média de 48 pontos de Ibope. A trama teve uma média final de 43 pontos. O principal fator pelo qual a novela não atingiu sua meta de 45 pontos no ibope (era o esperado para o horário) foi a forte concorrência dos programas Ratinho Livre na Rede Record e do programa Márcia no SBT, que chegou a mudar de horário para não competir com a novela.

Na época a Rede Globo teve que aumentar a duração dos capítulos para competir com o Ratinho. O autor Manoel Carlos disse em uma entrevista que foi obrigado a escrever capítulos de 1 hora e meia para "neutralizar o Ratinho". No penúltimo capítulo, em 21 de maio de 1998, registrou 58 pontos, com picos de 63. O último capítulo teve média de 57 pontos.

A média final da reprise no Vale a Pena Ver de Novo em 2002 foi de 21 pontos. O último capítulo, exibido em 10 de janeiro de 2003, registrou 36 pontos de média, superando a novela das oito da época, Esperança.

Nenhum comentário