Atenção noveleiros de plantão. A Globo prepara para breve mais um remake de uma obra cultuada pelo público e crítica, e que marcou época.
 
Depois de “O Astro” (2011), “Ti Ti Ti” (2011), “Gabriela” (2012), “Saramandaia” (2013), “Guerra dos Sexos” (2013), “O Rebu” (2014), “Meu Pedacinho de Chão” (2014) e “Haja Coração” (2016) – um reboot de “Sassaricando” (1987) – nesta década, e em vias de lançar “Éramos Seis”, cuja estreia está programada para outubro, na faixa das 18h, o canal vai tirar do papel uma releitura de “Os Ossos do Barão”, inspirada na icônica peça de Jorge Andrade (1922-1984), de 1963.

Em 2010, a três anos do cinquentenário de criação da obra, a Globo adquiriu os direitos de produção do título para a TV. A ideia, a princípio, era produzir uma nova versão em 2013, como forma de homenagear os 40 anos da primeira adaptação para a TV, em 1973, via plim plim. Na época, a narrativa, escrita pelo próprio Jorge Andrade e dirigida por Régis Cardoso (1934-2005), contou com um elenco estelar: Lima Duarte, Paulo Gracindo (1911-1995), Dina Sfat (1938-1989), José Wilker (1944-2014) e Renata Sorrah.



Em 1997, para a surpresa da Globo, o SBT saiu na frente e tirou do papel a sua releitura de “Os Ossos do Barão”. Escrito por Walter George Durst (1922-1997), com colaboração de Duca Rachid (coautora de “Órfãos da Terra”) e Mário Teixeira (autor de “O Tempo Não Para”), que tocaram o projeto com o câncer e morte de Durst, e dirigido por Nilton Travesso e Antonio Abujamra (1932-2015), o folhetim enfileirou outra tropa de estrelas: Juca de Oliveira, Leonardo Villar (que participou da versão da Globo), Tarcísio Filho, Ana Paula Arósio, Cleyde Yáconis (1923-2013), Jussara Freire, Othon Bastos, Dalton Vigh, Rubens de Falco (1931-2008), Denise Del Vecchio, Tânia Bondezan, Petrônio Gontijo, Bete Coelho e Otávio Müller.

Desde a reaquisição dos direitos, havia um temor por parte da Globo de Silvio Santos sacar da cartola, como lhe é peculiar, uma reprise da novela, a fim de jogar água no chope da concorrente. Porém, a exemplo de “Éramos Seis”, o SBT não possui mais os direitos de exibição da trama, em razão do acordo da emissora da família Marinho com os titulares ou herdeiros das obras – no caso da substituta de “Órfãos da Terra”, com Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho, os coautores.