Foto: Divulgação Globo.

A Globo vai promover alterações no ritmo de Éramos Seis nos próximos capítulos. A emissora está preocupada com os resultados de audiência que a novela vem acumulando e, por causa disso, decidiu dar mais agilidade à história de Ângela Chaves. O próprio Silvio de Abreu está cuidando das alterações no roteiro.

Reuniões sobre os rumos de Éramos Seis foram feitas nas últimas semanas porque a cúpula de dramaturgia da Globo está preocupada e também decepcionada com o desempenho da trama, conforme já havia sido antecipado pelo NaTelinha.

Embora tenha números medianos e que a colocam no mesmo patamar que Órfãos da Terra (2019) e Orgulho e Paixão (2018) e acima de Espelho da Vida (2018), em São Paulo, a produção está com problemas sérios de Ibope em algumas capitais, o que vem prejudicando a média parcial no PNT (Painel Nacional de Televisão).

Por causa disso, a cúpula da Globo entende que será necessário atualizar o roteiro para os desejos do público atual, que é bem diferente do que se viu nos Anos 90, última vez que Éramos Seis foi produzida com sucesso no SBT. A interpretação de todos é de que falta agilidade para as histórias e também aumentar o tom maniqueísta das personagens.

Mesmo com a decisão tomada para aumentar os índices da novela, a Globo convocou um grupo de discussão para enxergar como o telespectador vê a trama e as personagens. Segundo apurou a reportagem, o grupo de discussão de Éramos Seis aconteceu nessa semana, entre terça-feira (26) e ontem (27) e as impressões retiradas dali certamente serão utilizadas no futuro.

As mudanças em Éramos Seis


Decisão que já está tomada é que após a morte de Júlio (Antônio Calloni), prevista para ir ao ar no próximo dia 02 de dezembro. O diretor de Dramaturgia da Globo e autor da versão original de Éramos Seis, Silvio de Abreu, está debruçado sobre os roteiros promovendo as primeiras alterações.

Entre elas será a mudança de postura de Lola (Gloria Pires). A mocinha ficará muito mais empodeirada e assumirá a responsabilidade de cuidar da família, numa leitura bastante moderna sobre o feminismo. Lola não irá apenas sofrer a morte do marido assistindo de forma submissa o desmantelamento da família, ao contrário, sua reação será de mulher prática e que vai atrás do que é necessário.

Quem também sofrerá alguma alteração em seu perfil é Alfredo (Nicolas Prattes). A cúpula da Globo entende que o público contemporâneo busca por vilanizar alguém numa novela e falta este perfil em Éramos Seis. Diante disso, o filho de Lola e Júlio começará a tomar atitudes cada vez mais controvérsias. Não significa que ele se tornará um vilão perverso ou algo assim, é apenas um aumento de temperatura do personagem para atender o desejo dos telespectadores.

Procurada a Globo não confirmou que haja grupo de discussão de Éramos Seis nesta semana e afirmou que não divulga datas desse tipo de processo.

Éramos Seis em números


Éramos Seis completou 50 capítulos na última quarta-feira (27) e acumula média de 20,84 pontos na grande São Paulo. Com o mesmo número de capítulos, a média parcial de Órfãos da Terra era de 21 pontos cravados.

Embora esteja próxima a antecessora, a expectativa da Globo era de que o folhetim estivesse com índices superiores e, o pior, a tendência é que a queda se acentue nos próximos capítulos, já que historicamente as novelas da Globo costumam ter baixas em seus números no Ibope no mês de dezembro e na primeira semana de janeiro.

A previsão é de que Éramos Seis termine na última semana de março do ano que vem. Ela será substituída por Nos Tempos do Imperador, uma espécie de continuação de Novo Mundo e que também será escrita pela dupla Thereza Falcão e Alessandro Marson.