A partir de 1º de janeiro, um ponto no Ibope vai valer um pouco mais. Na Grande São Paulo, passará de 73.015 domicílios ou 204.050 indivíduos para 74.987 domicílios ou 203.309 indivíduos. Já no PNT (Painel Nacional de Televisão), que mede a audiência nas 15 principais regiões metropolitanas do país, um ponto equivalerá a 260.558 residências ou 703.167 telespectadores.
A atualização nos valores é feita todo início de ano e acompanha as estimativas populacionais do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de forma que um ponto seja equivalente a 1% do universo representado na pesquisa de cada praça.
O reajuste paulista, de 2,7% a mais no número de domicílios, é o maior dos últimos anos. De 2018 para 2019, o salto foi de 1,6% --o menor da década, empatado com o crescimento registrado entre 2016 e 2017 e menos do que de 2017 para 2018, de 1,8%. De 2013 para 2014, um ponto saltou incríveis 5,2%, de 61.952 para 65.201.
Como o ponto acompanha a variação da população, seu valor interfere diretamente na audiência dos programas. Uma novela que marca 30 pontos hoje tem mais telespectadores do que uma exibida no início da década e que dava 40.
Confira quanto valerá um ponto no Ibope em cada uma das 15 regiões analisadas pelo instituto Kantar Ibope a partir de 1º de janeiro:
VALORES DO PONTO NO IBOPE EM 2020
PraçaAudiência por domicílioAudiência por indivíduo
15 Regiões Metropolitanas (PNT)260.558703.167
Grande São Paulo74.987203.309
Grande Campinas7.99321.827
Grande Rio de Janeiro47.454121.090
Grande Belo Horizonte20.28055.068
Grande Vitória6.68518.181
Grande Porto Alegre15.79139.684
Grande Curitiba11.82331.461
Grande Florianópolis4.25910.723
Grande Goiânia8.82224.007
Distrito Federal9.46926.844
Grande Salvador13.68535.947
Grande Fortaleza12.48735.916
Grande Recife13.59237.149
Grande Belém7.06922.450
Manaus6.16419.512
Fonte: Instituto Kantar Ibope