Após mais de 50 anos na Globo, a atriz Regina Duarte e a emissora encerraram a relação contratual em comum acordo. A decisão ocorreu após a atriz aceitar o convite do presidente Jair Bolsonaro para assumir a Secretaria de Cultura.

"Deixar a TV Globo é como deixar a casa paterna. Aqui recebi carinho, ensinamentos e tive a oportunidade de interpretar personagens extraordinárias, reveladoras do DNA da mulher brasileira. Por mais de 50 anos sinto que pude viver, com a grande maioria do povo brasileiro, um caso de amor que, agora sei, é para sempre", declarou Regina.

No último dia 19, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, disse que Regina deve assumir a secretaria de dez a quinze dias após o Carnaval.

Carreira


A atriz estreou na Globo em 1969, na novela "Véu de Noiva". Desde então, atuou em 31 novelas, como os sucessos “Selva de Pedra” (1972), "Guerra dos sexos" (1983) e "Roque Santeiro" (1985), quando viveu a Viúva Porcina.

Após interpretar várias mocinhas, ganhou o apelido de ‘Namoradinha do Brasil’ e também viveu o ícone da emancipação feminina do fim dos anos 70. E, por três vezes, interpretou as Helenas do autor Manoel Carlos: em "História de Amor" (1995), "Por Amor" (1997) e "Páginas da Vida" (2006).

Também participou de oito casos especiais e centenas de episódios em séries e minisséries na Globo, incluindo o sucesso "Chiquinha Gonzaga" (1999). Seu último trabalho na emissora foi "Tempo de Amar", em 2017.

Secretaria da Cultura


Após a saída de Roberto Alvim, o convite para que Regina Duarte assumisse o cargo na Secretaria de Cultura foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro e aceito pela atriz em 29 de janeiro (veja vídeo abaixo). A nomeação ainda não foi publicada no "Diário Oficial da União" (DOU).