A Globo por meio da CGCom, divulgou neste domingo uma extensa nota na qual rebate e esclarece, uma a uma, dúvidas e suspeitas sobre o anunciado recorde de 1,5 bilhão de votos no último paredão do BBB20 na qual eliminou Felipe Prior.

Foi questionado a emissora sobre o possível uso de robôs/ bots que poderiam ter inflado a votação.

Também questionou a Globo sobre quantos unique visitors (computadores diferentes) estão cadastrados e estariam, portanto, aptos a votar no paredão.

A resposta: 83,6 milhões. É a primeira vez que a Globo revela essa (relevante) informação.

Segundo a Globo, em momentos de pico chegou-se ao espantoso número de 1,5 milhão de votos por minuto.

A Globo revela ainda que seus especialistas mudaram configurações de interface e no fluxo do sistema do site, o que reduziu em 48% o tempo de votação.

"Em circunstâncias normais e considerando que a identificação do captcha seja imediata, cada usuário consegue votar até sete vezes por minuto."

Ainda informou que o "BBB20" apresenta um aumento de 203% de votantes únicos em relação à edição anterior.

Leia abaixo a íntegra da nota enviada pela CGCom (a qual a coluna agradece, acolhe e dá o assunto por encerrado):

"Como já falado anteriormente, repudiamos com veemência a sua suspeita. Podemos assegurar que não há qualquer indício de que votos realizados por robôs ou outros mecanismos de fraude tenham impactado a votação do último paredão do BBB.

Contamos com uma equipe altamente especializada em segurança cibernética e nossa plataforma de votação tem sua segurança certificada por uma auditoria externa independente.

Monitoramos constantemente as curvas de votação para identificar e mitigar quaisquer riscos de interferência no sistema, através de algoritmos que acompanham o processo de votação permanentemente, a fim de rastrear comportamentos não-humanos.

Utilizamos diferentes mecanismos para garantir a segurança da votação, dentre eles, o captcha. Além dele, há outras camadas de segurança no nosso sistema capazes de rapidamente identificar um robô e neutralizá-lo.

Fizemos uma análise profunda sobre o paredão recorde do BBB e podemos afirmar que os maiores votantes individuais logados na plataforma, com milhares de votos computados entre domingo e terça, têm um ciclo de voto tipicamente humano.

A imensa maioria destes top votantes tem e-mail validado, revelando qualidade e conexão desses usuários com produtos da Globo. Usuários criados por automação não teriam essas características. Todos estes dados, repetimos, são acompanhados por auditoria independente.


Desta forma, a especulação sobre uma suposta ação de robôs ou interferência humana não reflete o que aconteceu neste último paredão - e, na verdade, desconsidera o enorme fenômeno de engajamento que tem marcado o Big Brother Brasil 20.

Desde o início desta edição, o programa tem batido seguidos recordes de audiência (muito antes da crise do coronavírus, inclusive), tanto na TV aberta quanto na TV por assinatura e no ambiente digital, movimentando o público das redes sociais como nenhum outro programa brasileiro foi capaz de fazê-lo até hoje.

Vale lembrar que, apenas no universo da internet, a Globo alcança mais de 103 milhões de usuários por mês. Nossos diferentes produtos e serviços digitais acumulam 83,6 milhões de cadastros únicos, cujos titulares estão, todos, aptos a votar nos paredões do BBB.

Sobre a conjectura de que a votação não poderia ter alcançado índice tão expressivo, além do potencial de usuários votantes, é importante considerar outros fatores nesta análise:

1. Maior disponibilidade das pessoas durante todo o período de votação, por conta do isolamento social (chegamos a registrar picos de 1.500.000 de votos por minuto);

2. A mobilização das redes sociais de diversos influenciadores que movimentaram torcidas e suas próprias redes de fãs em torno da votação; Apenas um exemplo: em seu perfil no Twitter, Bruna Marquezine pediu a seus 7,7 milhões de seguidores que votassem, cada um, 1.400 vezes;

3. O comportamento da curva de crescimento do número de votantes, que acompanhou o aumento do número de votos;

4. A diminuição em 48% do tempo requerido para a votação, em função de mudanças realizadas na interface e fluxo do sistema. Em circunstâncias normais e considerando que a identificação do captcha seja imediata, cada usuário consegue votar até sete vezes por minuto;

5. E, por último, o aumento de 203% de votantes únicos nesta edição em relação à anterior.

Por tudo isso, enfatizamos que os números apurados em todos os comparativos e recortes realizados pelos nossos especialistas em Tecnologia nos trazem a absoluta convicção de que não existem automatizações capazes de distorcer os resultados das votações. Central Globo de Comunicação."