Em meio a pandemia de Covid-19, a Record TV optou por voltar a exibir o programa Legendários, apresentado por Marcos Mion durante oito anos. A atração entrará no ar no lugar da série Chicago Fire – Herois contra o Fogo,  já a partir deste sábado (11), às 22h30. Diante do isolamento social, a emissora traçou uma nova estratégia para brigar pela vice-liderança com uma produção que conta com música, humor e auditório, assim como o Altas Horas, da Globo. 

A atração foi tirada do ar em 2018 após ter uma troca de dia de exibição e deixar a Record TV em terceiro lugar nas noites de sexta. O programa foi exibido aos sábados até 2016 e era vice-líder na guerra pela audiência, mas nunca foi um lucrativo.

Aos migrar para as sextas e aumentar faturamento, o Legendários caiu para a faixa dos 6 pontos na Grande São Paulo, ficando atrás da Globo e do SBT. A Record TV sempre brigou pela vice-liderança, então, resolveu tirar o programa do ar.

Marcos Mion seguiu contratado da Record. Apresentou o reality "A Casa", antes de ir bem no comando de "A Fazenda". Na época, ele concordou com a decisão da emissora e ressaltou que brigar com o Programa do Ratinho, do SBT, era muito difícil.

Ele foi para Record TV com alto salário após uma passagem bem-sucedida pela MTV. A primeira formação do Legendários era mais de humor, com quadros de ecologia e política. No elenco da primeira versão, que estreou em abril de 2010, estavam nomes como João Gordo, Elcio Coronato e Felipe Solari e o grupo Hermes e Renato, todos da MTV, além dos humoristas Miá Mello e Marcelo Marrom.

A experiência, no entanto, não foi muito bem no Ibope. Em setembro daquele ano, a cúpula da Record interveio e colocou Carlos César Filho para dirigir o programa. O Legendários ficou menos inovador e mais programa de auditório, mas decolou no Ibope e chegou a chacoalhar a Globo. A emissora carioca trocou o Serginho Groisman de horário para brigar com Mion.