No último sábado (25), a influenciadora Camila Coelho (32), surpreendeu os seguidores ao falar novamente sobre epilepsia. A digital influencer usou o Instagram para postar um vídeo de quase 20 minutos a fim de abordar sobre a doença com a qual convive.

A princípio, a influenciadora destacou a sua transparência com os seguidores e falou sobre exposição na internet. “Nunca pensei que seria tão profundamente aberta sobre minha vida pessoal. Se você assiste meus stories, sabe que compartilho mais a fundo coisas pessoais, e desafios que tenho, incluindo epilepsia”.

Em seguida, Camila contou que falar sobre tudo na internet é assustador, mas que pretende ajudar as pessoas ao abordar esse assunto. “Minha esperança é que compartilhando minha história, minhas lutas e desafios, eu possa ajudar aqueles que estão lutando agora, especialmente com aceitação própria e amando a si mesmos!”.

Posteriormente, Camila ressaltou a dificuldade que teve em aceitar a epilepsia. “Lutei e rejeitei a mim mesma no passado, não tinha um sentimento de pertencimento. Apenas minha família, meus amigos e aqueles que trabalham comigo sabiam dessa condição. Tomar a decisão de compartilhá-la com o mundo foi assustador. Ainda existe um estigma sobre isso”.

Além disso, a digital influencer deixou claro que recebeu recomendações para esconder a epilepsia, mas que se se sentiu mais forte e confiante logo após compartilhar sua história.


Camila Coelho revela efeitos da epilepsia em sua vida



A influencer Camila Coelho explicou aos seguidores que descobriu que tinha epilepsia durante sua infância enquanto brincava com uma amiga. Durante a brincadeira, Camila teve sua primeira convulsão e logo depois foi levada para o hospital.

Além disso, Camila contou que a epilepsia atrapalhou sua relação com os amigos na adolescência. “Eu não podia consumir álcool. Eles me perguntaram por que eu não podia. ‘Você tem problema? Você tem medo?’. Todas essas palavras, quando você é insegura, podem te machucar. O mais engraçado era que eu nem queria beber, mas queria provar para eles que eu era igual a eles”.

Ademais, a influenciadora afirmou que, naquele tempo, pensou em parar de tomar os remédios devido à insegurança e que perdeu sua própria luz. Camila também disse que após parar de tomar os medicamentos, teve uma convulsão na escola que a fez chorar bastante.

No entanto, a influencer mostrou que aceitou a epilepsia e que está melhor desta forma. “Sempre soube que eu era um pouco vulnerável ao falar sobre isso, mas eu parei de reclamar. Eu superei meus medos, eu era eu novamente”.

Por fim, Camila disse que pretende ser mãe, mas que a epilepsia pode interferir nesta decisão.“Meus médicos sempre me disseram que é possível, mas algo que eu precisaria planejar muito bem. O remédio pode afetar a saúde do bebê. Sem o remédio, eu poderia ter uma convulsão e perder o bebê”.




Curta nossa página