Na tarde de 20 de novembro de 2019, o apresentador Gugu Liberato sofreu uma queda fatal do forro do teto de sua casa em um condomínio luxuoso em Windermere, vilarejo nos arredores de Orlando, no estado americano da Flórida. O anúncio oficial de sua morte aconteceu no final da edição do 'Jornal Nacional' no dia 22, porém sua morte já havia sido decretada na noite anterior (21). O comunicador tinha 60 anos.

Diante disso o que se viu, nos dias posteriores, foi uma grande comoção nacional. O velório na Assembleia Legislativa de São Paulo reuniu milhares de fãs e dezenas de artistas. O carinho e o respeito por Gugu ficaram mais do que provados. Pouco depois, infelizmente, o nome dele passou a ser associado à disputa pela herança entre membros da família. Com isso, detalhes de sua vida íntima foram expostos.

Polêmicas e indiscrições à parte, selecionamos algumas informações curiosas a respeito do homem por trás do ídolo. Reservado, ele revelava pouco sobre si mesmo. Quem conviveu com Gugu longe dos estúdios de TV conheceu uma pessoa simples, transparente, generosa. Nesse primeiro ano de sua morte, o sempre sorridente comunicador merece ser lembrado com afeição e alegria.

Antonio Augusto Liberato passou a infância no Jardim Paulistano, um dos bairros mais nobres de São Paulo. Mas sua família era pobre: pai caminhoneiro e mãe sacoleira. Moravam na parte superior de um sobrado; no térreo funcionava uma mercearia. Da janela, ele via o interior de uma mansão de luxo do outro lado da rua e se imaginava brincando na piscina do vizinho.

Em 1981, aos 22 anos, ele se mudou de São Paulo para Marília, cidade do interior do estado, onde começou a cursar Odontologia na Unimar. Abandonou a faculdade após ser convidado por Silvio Santos para comandar a 'Sessão Premiada'.

O primeiro carro zero km comprado com salário da TV foi um Fiat 147. Antes disso, teve veículos velhos que quebravam com frequência.

Gugu dizia que seus piores defeitos eram a ansiedade, a mania de sofrer por antecipação e a gula. Ele estava sempre testando novas dietas.

O apresentador gostava de ir a supermercados. Muitas vezes usou boné e óculos escuros para fazer compras sem ser reconhecido. Outro passeio trivial era em feira livre, onde comia o pastel preferido, sabor pizza.

Ele não se considerava supersticioso, mas gostava de calçar primeiro a meia direita. Para festejar o Réveillon, em 31 de dezembro, usava cueca branca.

Apesar da forte ligação com Silvio Santos, Gugu não se considerava um amigo do 'homem do baú'. "Silvio Santos disse que só tem um amigo, o Jassa", contou o apresentador em entrevista ao repórter Thiago Rocha, da RedeTV!. O famoso cabeleireiro Jassa é quem cuida do visual do dono do SBT, além de ser seu principal conselheiro. Gugu frequentava o mesmo salão.

Em entrevista a Bruna Lombardi, no programa 'Gente de Expressão', na década de 1990, Gugu foi questionado qual outra pessoa ele gostaria de ser. "Aquele homem que pisou na lua", disse, referindo-se ao astronauta americano Neil Armstrong, primeiro ser humano a tocar o solo do satélite natural da Terra. "Tenho fitas (de vídeo) aqui em casa. Fico olhando e babo. 'The best' na vida pisar na lua".



Curta nossa página