A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, renomeia a "Sala Cine Olido", sala de cinema do Centro Cultural Olido, no centro da cidade, como "Sala Paulo Gustavo", em homenagem ao ator e comediante Paulo Gustavo (1978-2021).


Uma das principais salas de cinema do Circuito Spcine, na região central da cidade, o espaço foi renomeado por articulação do prefeito em exercício Ricardo Nunes, do Secretário Municipal de Cultura, Alê Youssef, e da presidente da Spcine, Viviane Ferreira.


O Decreto Nº 60.225 foi publicado no Diário Oficial do Município nesta sexta-feira, 7 de maio de 2021.


A sala será reinaugurada com nova infraestrutura, o novo nome e uma mostra de filmes de Paulo Gustavo quando as obras de reforma na Galeria Olido forem concluídas. A previsão é que isso ocorra em julho de 2021.

Paulo Gustavo

Paulo Gustavo Amaral Monteiro de Barros nasceu em Niterói em 30 de outubro de 1978 e estudou teatro na Casa das Artes de Laranjeiras, no Rio. A primeira peça da qual participou foi "O surto", codirigida com Fernando Caruso, em 2004. Foi no espetáculo que apresentou pela primeira vez Dona Hermínia. A personagem ganhou peça própria em 2006 e chegou ao cinema sete anos depois. Os três filmes de "Minha Mãe É Uma Peça" venderam mais de 26 milhões de ingressos entre 2013 e 2020. O terceiro filme teve a maior arrecadação da história do cinema brasileiro, com R﹩182 milhões de bilheteria.

Além do sucesso de Dona Hermínia, o ator fez os filmes "Minha Vida em Marte" (2018) e "Os Homens São de Marte... e É Para Lá Que Eu Vou" (2014). Na TV, Paulo apresentou prêmios e programas no Multishow, inclusive a série "Vai Que Cola", um sucesso também na adaptação para o cinema, em 2015.

Paulo Gustavo se casou com o médico Thales Bretas em 2015. Após um processo de barriga de aluguel nos Estados Unidos, eles se tornaram pais de Romeu e Gael, de 1 ano de idade.

"Além da sua marcante contribuição à cultura brasileira por meio do Teatro e do Cinema, Paulo Gustavo foi um homem ativo na construção de uma sociedade mais justa, inclusiva e tolerante, e teve sua vida interrompida, ainda muito jovem, aos 42 anos, pela covid-19", diz o texto do Decreto.


Curta nossa página